Feeds:
Posts
Comentários

Caro colega

Convidamos você a participar de uma proposta de verdadeira troca de saberes, reflexões e experiências sobre o ensino da História.

Através desse blog vamos discutir assuntos relevantes da área e contribuir para nossa prática cotidiana.

Sua colaboração e participação será muito importante!

Seja bem-vindo!

Maria da Consolação Paiva Lainha

Assessora Pedagógica de História – CENFOP

 

O idealizador do Dia Nacional da Consciência Negra foi o poeta, professor e pesquisador gaúcho Oliveira Silveira (1941 – 2009). Ele era um dos fundadores do Grupo Palmares, que reunia militantes e pesquisadores da cultura negra brasileira, em Porto Alegre.

Em 1971 (mesmo ano de fundação do grupo), ele propôs uma data que comemorasse a tomada de consciência da comunidade negra sobre seu valor e sua contribuição ao país. Escolheu o dia 20 de novembro, por ser o possível dia da morte de Zumbi dos Palmares, que ocorreu em 1695. Era  muito mais significativo e emblemático do que comemorar o dia 13 de maio, Dia da Abolição da Escravatura, quando o regime escravocrata estava falido e não havia mais como se manter.

O 20 de novembro foi celebrado pela primeira vez naquele mesmo ano de 1971. A ideia se espalhou por outros movimentos sociais de luta contra a discriminação racial e, no final dos anos 1970, já aparecia como proposta nacional do Movimento Negro Unificado. De lá para cá, a data tem motivado a promoção de fóruns, debates e programações culturais sobre o tema em todo o país.

A cultura afro-brasileira e o seu lugar na educação

Em 2003, a Lei Federal nº 10.639 incluiu o Dia Nacional da Consciência Negra no calendário escolar, e tornou obrigatório o ensino sobre história e cultura afro-brasileira nas escolas de ensino fundamental e médio, públicas e particulares.

Tendo em vista que a influência do negro marcou profundamente a identidade e a cultura nacionais, o reconhecimento e a inclusão dos conteúdos relativos à África e ao povo africano no currículo das escolas foram de extrema importância, mesmo que tenham sido somente no início do século 21. Dessa forma, os professores devem incluir em seus programas aulas sobre: história da África e dos africanos, luta dos negros no Brasil, cultura negra brasileira e o negro na formação da sociedade nacional.

É claro que essa mudança não é automática nem simples, pois foram anos e anos de uma prática educacional onde o negro só aparecia nos pontos que discorriam sobre a escravidão no Brasil. É preciso fazer reconhecer a participação dos africanos na construção do país, seu legado cultural e sua participação no desenvolvimento brasileiro; inclusive, partindo da visão dos africanos e dos afro-descendentes, não somente do ponto de vista eurocêntrico (dos europeus) ou dos ditos dominantes, que acabavam dominando as leituras didáticas.

Conhecer e reconhecer o ponto de vista do negro e valorizar sua contribuição cultural não só diz respeito aos afro-descendentes, mas a todos nós, frutos de uma sociedade multicultural: a sociedade brasileira.

Sobre o tema da educação das relações étnico-raciais e do ensino de história e cultura afro-brasileira e africana, sugerimos uma visita ao site do Ministério da Educação (MEC), onde há diversas publicações sobre o tema.

As comemorações do Dia da Consciência Negra e municípios que decretaram feriados

O Dia da Consciência Negra não é um feriado nacional, mas existe um projeto de lei em tramitação (na verdade, o Substitutivo da Câmara dos Deputados ao Projeto de Lei do Senado nº 520 de 2003), que declara a data como feriado nacional. Ele foi aprovado em outubro deste ano e agora só está à espera da sanção da Presidência.

Enquanto a data não é comemorada em todo o território nacional oficialmente, cabe aos municípios decretarem ou não feriado ou ponto facultativo neste dia. O Rio de Janeiro foi o primeiro município a instituir o feriado (desde 1995). Por ora, quatro Estados da União decretaram feriado estadual: Alagoas, Amapá, Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro. No Mato Grosso do Sul, o feriado estadual foi derrubado pelo Tribunal de Justiça do Estado, em outubro deste ano, considerando-o anticonstitucional, sob a argumentação de que esta lei interfere nas relações trabalhistas, que seria uma competência da União.

Links recomendados

Biblioteca Virtual: Cultura afro-brasileira

Conselho Estadual de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra

Centro de Referência em Educação Mário Covas

Fundação Palmares

Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial

Datas da História e Cultura Afro-Brasileira e Africana

Estatuto da Igualdade Racial (também em versões em espanhol e inglês)

Movimento Negro (Wikipédia)

Fonte: http://www.bibliotecavirtual.sp.gov.br/

APRESENTAÇÃO DA SEQUÊNCIA DIDÁTICA DAS PROFESSORAS: MARIA SÍLVIA E ALICE SOUZA DA ESCOLA ÉVERSON MAGALHÃES.

TEMA: INCLUSÃO

Inclusão

APRESENTAÇÃO DA PROFESSORA MÁRCIA ADRIENE DA ESCOLA CONCEIÇÃO PENA.

TEMA: CONSUMISMO

Sequência didática – consumismo

Consumismo & Civismo editado

Consumismo Srek

Poesia e Música

APRESENTAÇÃO DA PROFESSORA UBIARA ESTEVES DA ESCOLA ALTINA O. GONÇALVES.

TEMA: DITADURA MILITAR

DITADURA MILITAR

APRESENTAÇÃO DOS PROFESSORES: ORESTES E IRACÉLIA DA ESCOLA ALTINA O. GONÇALVES.

Aula Cenfop (Altina)

PARABÉNS AOS PROFESSORES!

 

 

TEMA: AVALIAÇÃO E PLANEJAMENTO

No dia 04 de setembro de 2012, os professores de História e Geografia da Rede Municipal de Ipatinga  – MG, reuniram-se na Faculdade Pitágoras, no bairro Horto.

Estiveram presentes ao todo, 53 professores, sendo 30 no turno matutino e 23 no vespertino.

O primeiro momento foi destinado à apresentação das sequências didáticas elaboradas pelos professores de três escolas da Rede, aliás, excelentes apresentações.

Na sequência, apresentamos as orientações sobre a Avaliação Integrada que acontecerá na Rede Municipal no mês de novembro.

Após a apresentação das orientações sobre a Avaliação Integrada, fizemos algumas considerações sobre avaliação tendo como foco as recomendações na construção de questões de múltipla escolha, a diferença entre habilidade e competência e a análise de algumas questões. Essas recomendações foram fundamentadas teoricamente no livro de Vasco Moretto ( Prova um instrumento privilegiado de estudo e não um acerto de contas), no artigo: Técnicas de elaboração de questões de múltipla escolha da professora Ângela Correa  da Silva a no material produzido pela Fundação Bradesco.

Ao final os professores se dividiram em grupos para definirem o planejamento para o 4º bimestre dos conteúdos de Geografia, História e PAT.

AVALIAÇÃO INTEGRADA

  • Objetivo principal:

Mediante o resultado apontado, redimensionar as intervenções pedagógicas em busca da melhoria da qualidade do ensino.

  • Datas de realização:

13 de novembro: Língua Portuguesa, Ciências, Inglês e Discursiva.

14 de novembro: Matemática, Geografia e História.

  • Objetivos a serem avaliados:

Metas do 1º, 2º, 3º e 4º bimestres

(Obs.: Metas do 4º bimestre trabalhadas até o dia 10 de novembro).

Elaboração das questões

• Ser de múltipla escolha, tendo 4 alternativas cada questão.

• Especificar o conteúdo a ser explorado na questão.

• Indicar o objetivo para a avaliação da aprendizagem.

• Elaborar a questão estabelecendo parâmetros.

QUESTÃO ___

Conteúdo: _________________

Objetivo: __________________

•Elaborar questões que exijam diferentes operações do pensamento.

•Elaborar questões que envolvam habilidades de leitura e interpretação.

• Prazo máximo de envio das questões para o email cenfophistoria

 @gmail.com: 05 de outubro de 2012.

SLIDES DO ENCONTRO

IV ENCONTRO DE FORMAÇÃO DOS PROFESSORES DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA – SETEMBRO DE 2012

Segue abaixo suporte teórico para aprofundamento do tema abordado:

Guia para elaboração de itens (questões ) de múltipla escolha (material  da Fundação Bradesco).

Disponível  em: http://www.educacao.org.br/eja/areadoeducador/Materiais%20Administrativos%20e%20Pedaggicos/guia_elaboracao_itens_FB.pdf

Guia de elaboração e revisão de questões de múltipla escolha.

Disponível em:

http://paae.institutoavaliar.org.br/sistema_ava_v2/banco_objetos/guia.pdf

Artigo: Técnicas de Elaboração de Itens de Múltipla Escolha da professora Ângela

Corrêa da Silva.

Disponível em:

http://www.fessor.com.br/arquivos/dicas/Como%20Fazer%20Provas/Tecnicas%20para%20Elaboracao%20de%20Itens%20de%20ME.pdf

PLANEJAMENTO 4º BIMESTRE

PLANEJAMENTO DE HISTÓRIA – 4º BIMESTRE – 8º ANO – 2012

PLANEJAMENTO DE HISTÓRIA – 4º BIMESTRE- 9º ANO – 2012

PLANEJAMENTO DE HISTÓRIA – 2012- 6º ANO- 4º BIMESTRE

PLANEJAMENTO DE hISTÓRIA- 2012 – 7º ANO – QUARTO BIMESTRE

AVALIAÇÃO DO ENCONTRO

  GRAFICOS

Aspectos Avaliados

Ótimo

Bom

Regular

Organização e   Planejamento

29

18

0

Contribuição das   informações para o desenvolvimento do seu trabalho na escola

23

24

0

Clareza e   objetividade da exposição

29

18

0

Blog Educa Tube

Imagem

Descobri esse blog que indica vídeos de e para educadores, além de sugerir diversos recursos tecnológicos com fins educativos. Muito bom! Vale a pena fazer uma visita.

http://www.educa-tube.blogspot.com.br/

 

Mapa conceitual das religiões no mundo

Para quem leciona Ensino Religioso ou tem interesse nas diferentes religiões ao redor do mundo, encontrei um mapa conceitual muito legal sobre o assunto. O mapa traz um retrospecto da origem das religiões (segundo os autores, elas têm origem na pré-história) e a maneira como elas se interconectam. Ainda não consegui identificar se há um significado nas diferentes cores.

 Imagem

Como usar em sala de aula

O mapa conceitual pode ser utilizado para levantar várias questões com os alunos:

  • O significado religioso ou simbólico das pinturas rupestres e as diferentes interpretações dadas pelos arqueólogos.
  • O surgimento de diferentes crenças religiosas a partir do animismo pré-histórico e o surgimento do politeísmo.
  • A influência que a Igreja Católica Apostólica Romana (ICAR) teve no surgimento de várias outras crenças religiosas.
  • As ramificações do protestantismo, a partir das reformas religiosas do século XVI e a ascensão das igrejas evangélicas.

Se você tiver outras formas de abordar este mapa em sala de aula, deixe um comentário que atualizamos aqui posteriormente.

Fonte: texto e imagem retirados do blog  www.historiadigital.org

 

  

 RELATÓRIO  DO  3º ENCONTRO DE FORMAÇÃO DOS PROFESSORES DE  HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE 2012.

No dia 12 de junho de 2012 ocorreu no Centro de Formação pedagógica-(CENFOP) o terceiro encontro de formação dos professores de Geografia e História da Rede Municipal de Ipatinga. Os objetivos do encontro foram: organização do planejamento para o 3º bimestre para todas as turmas de 6º ao 9º ano e   PAT1CF III E IV, e elaboração das avaliações globais do PAT1CF III E IV para  o 2º bimestre. Estiveram presentes no encontro 46  professores.

O encontro foi organizado em dois momentos: Após boas vindas e leitura da mensagem, os professores das escolas sorteadas no encontro anterior tiveram oportunidade de socializarem as seqüências didáticas desenvolvidas com seus alunos. No período matutino foram apresentados os trabalhos das escolas Padre Cícero de Castro, Nelcina Rosa e Márcio Andrade Guerra. À tarde as mesmas escolas apresentaram trabalhos desenvolvidos por outros professores. Foi um momento muito agradável e enriquecedor, os presentes ficaram entusiasmados com as possibilidades de trocas de experiências.

Ao final das apresentações outras três escolas foram sorteadas para apresentarem seus trabalhos no próximo encontro. São elas: E.M. Levindo Mariano, E.M Altina Olívia Gonçalves e  E.M. Everson Magalhães Lage .

No segundo momento os professores foram organizados em Três grupos: professores de historia, de geografia e professores do PAT1CF III E IV com objetivo de avaliar o planejamento do 2° bimestre e organizar o planejamento do terceiro bimestre/2012 por ano do ciclo. O grupo de professores do PAT1CF III E IV além de planejarem para o 3º bimestre selecionaram questões para  avaliação global do 2 º bimestre/2012.

 Por último após leitura do texto “avaliação da avaliação”, assistimos parte do filme “o Triunfo”, e fizemos uma discussão sobre avaliação da aprendizagem. 

CONSOLIDADO DAS AVALIAÇÕES DO 3º ENCONTRO DE FORMAÇÃO DOS PROFESSORES DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA

SLIDES DAS APRESENTAÇÕES DOS PROFESSORES

ESCOLA PADRE CÍCERO DE CASTRO (PRÉ HISTÓRIA)

ESCOLA MÁRCIO ANDRADE GUERRA (DICIONÁRIO GEOGRÁFICO)

E.M. PADRE CÍCERO DE CASTRO (Pré-História)

Escola Municipal Nelcina Rosa de Jesus(ÁFRICA)

TEXTOS  DA NOVA ESCOLA

AVALIAÇÃO E AVALIAÇÃO  

OS NOVE JEITOS MAIS COMUNS DE AVALIAR OS ESTUDANTES E OS BENEFÍCIOS DE CADA UM.

 

AVALIAÇÃO E AVALIAÇÃO

 

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 33 outros seguidores